MENU

19 de maio de 2017 - 19:12Super GT

O retorno do Super GT a Autopolis

1a-MK1_6417

RIO DE JANEIRO - A pista de Autopolis, na região de Kyushu, volta a receber uma prova do Super GT japonês depois de dois anos. No ano passado, a área próxima à pista foi varrida por um terremoto e a GTA, organizadora do campeonato, resolveu cancelar o evento, levando a corrida para Twin Ring Motegi, que assim recebeu uma rodada dupla.

Isto posto, com tudo certo e sem os problemas que por vezes afetam o país, o campeonato chega neste fim de semana à 3ª etapa do campeonato. A corrida será disputada em 300 km de percurso pelo traçado que tem 4,673 km de extensão. No total, 45 carros são aguardados – 15 da GT500 e os demais trinta da GT300.

Na classe principal, os Lexus LC500 tentam manter o domínio iniciado nas corridas de Okayama e Fuji, em que o novo modelo da Toyota sobressaiu-se diante dos carros das rivais Honda e Nissan. Mas há um porém: o lastro do sucesso que alguns dos carros vão carregar – especialmente o #36 de Ryo Hirakawa e Nick Cassidy, com 62 kg adicionais. Kazuya Oshima/Andrea Caldarelli vão com 60 kg extras e Hiroaki Ishiura/Kohei Hirate, vencedores dos últimos 500 km de Fuji, carregam 58 kg de lastro.

Dos 15 bólidos da categoria, somente dois vão dentro do peso com que normalmente correm: o Nissan GT-R da equipe MOLA e o Honda NSX-Concept da Nakajima Modulo, que são os únicos que ainda não marcaram pontos na temporada. Até o carro de João Paulo de Oliveira/Daiki Sasaki, inscrito pela Kondo Racing, vai com 2 kg extras por conta do décimo posto alcançado na primeira etapa.

Na GT300, o Lexus RC-F da dupla Yuichi Nakayama/Sho Tsuboi, inscrito pela equipe LM Corsa, é o mais lastreado – são 46 kg no total. Haruki Kurosawa/Naoya Gamou vão com 44 kg adicionais na Mercedes-AMG da Leon Cvstos e o carro #4 da Goodsmile Hatsunemiku Team Ukyo, do ex-piloto de Fórmula 1 Ukyo Katayama, está inscrito com 42 kg de lastro para a dupla Nobuteru Taniguchi/Tatsuya Kataoka.

Há a expectativa também de que a pista de Autopolis, por suas características sinuosas e com curvas de média/baixa velocidade possa favorecer os chamados “Mother Chassis”, os carros que a GTA construiu usando o visual de modelos de competição como o Lotus Évora, o Toyota 86 e outros.

O blog A Mil Por Hora terá o vídeo com a transmissão ao vivo da corrida, na madrugada de sábado para domingo.

1 comentário

  1. Fabio disse:

    Do jeito que os Lexus estão, o lastro vai ter que ser um trailer de reboque! hahahahaha

    Com o regulamento de 2017 removendo muito da aerodinâmica dos carros, a Lexus foi muito esperta em preparar o LC500, que por si só é um veículo muito bem esculpido, e isso compensou bem demais. A Nissan, ao meu ver, perdeu muito da sua força com o encurtamento da parte dianteira (graças à Honda, e que num adiantou nada pra esta) e o fato de o GT-R ser naturalmente “quadradão”. Aliás, não é à toa que estão trabalhando pesado pra deixar o GT-R GT3 mais esguio. Já a Honda, tá parecendo F1, fizeram o regulamento ser modificado em 2 coisas para adaptar seu carro (encurtando o comprimento da parte da frente & modificando o monocoque pois o motor é central-traseiro), tentaram inventar com híbrido, desistiram (proibiram), e mesmo assim ainda num dá em nada!

    Pelo menos, pra manter o nível do show, a Lexus tá dando uma aula à DTM, e deixando o couro comer entre seus carros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>