MENU

13 de março de 2017 - 21:29WTCC

WTCC: grid (quase) fechado para 2017

guerrieri_16111801-630x354

O argentino Estebán Guerrieri é uma das novidades para 2017: o piloto de 32 anos está garantido em pelo menos metade das rodadas do WTCC com o Chevrolet Cruze da Campos Racing

RIO DE JANEIRO - A saída de Citroën e Lada com suas equipes oficiais causou feridas no World Touring Cars Championship (WTCC), que abre no próximo dia 9 de abril com a rodada dupla marcada para o Marrocos. Mas os organizadores da competição batalharam para dar um mínimo de dignidade à temporada, no que foram ajudados não só por Honda e Volvo – os únicos construtores oficiais que restam – como também pelas demais equipes que participam do certame e por pelo menos uma novidade que garante a permanência dos Vesta desenvolvidos pela Oreca, na França.

É que a RC Motorsport estreia na categoria com dois dos Vesta que foram vistos no ano passado – e pelo menos um deles já tem piloto confirmado: é Yann Ehrlacher, sobrinho de Yvan Muller, que também corre na equipe do tio no European Le Mans Series, na classe LMP3. Quem também se junta à série é Aurélien Panis, filho do antigo piloto de Fórmula 1 e vencedor do GP de Mônaco de 1996 Olivier Panis: após uma experiência na World Series 3.5, o garoto vai para a Zengó Motorsport com um Honda Civic, ao lado de Daniel Nagy.

Entre as equipes, a Sébastien Loeb Racing herda três chassis dos C-Elysée oficiais de fábrica, entregando os equipamentos a Tom Chilton (que também disputará o BTCC), Mehdi Bennani e ao recém-chegado John Filippi, que substitui o franco-belga Grégoire Demoustier, que – graças a Deus – deixou a competição. Um quarto carro da Citroën será entregue à equipe de René Munnich e Rob Huff, que deixou a Honda, será o piloto titular.

A ROAL Motorsport anunciou a permanência do fanfarrão holandês Tom Coronel para mais uma temporada, enquanto a Campos Racing fechou com dois argentinos: Estebán Guerrieri disputará o campeonato em pelo menos cinco das 10 rodadas previstas – as quatro primeiras, mais a etapa da Argentina – enquanto José Manuel Urcera está confirmado apenas para a prova de Termas de Río Hondo.

E os “hermanos” não ficam órfãos de piloto após a debandada de “Pechito” López para o WEC e Fórmula E. É que Néstor “Bebu” Girolami compõe com Thed Björk e Nicky Catsburg o lineup da Polestar Cyan Racing para esta temporada. Ele será um dos três nomes oficiais da Volvo em 2017.

Já a Honda, com a saída de Rob Huff, se arranjou logo, dando o terceiro carro a Ryo Michigami e promovendo o húngaro Norbert Michelisz para trabalhar mais próximo a Tiago Monteiro desta vez.

Com pelo menos 15 pilotos confirmados e 16 possíveis, a organização do WTCC garante o mínimo de participantes de acordo com os contratos assinados com os promotores das corridas. E com isso, a divisão WTCC 2, que garantiria a sobrevivência da competição caso os Lada Vesta não fossem inscritos por qualquer time, foi descartada – pelo menos por enquanto.

O foco será incrementar a classe principal em 2017, apesar da crise. A lista oficial de inscritos será divulgada amanhã.

E para a próxima temporada, o Conselho Mundial da FIA ratificou duas alterações no calendário: a primeira, a troca da data da Argentina. A etapa marcada para Termas de Río Hondo foi antecipada para 16 de julho (seria em 6 de agosto). A rodada da China troca de circuito: sai Xangai e entra a pista de Ningbo, que é de propriedade do grupo Geely, hoje proprietário da Volvo. A etapa oriental está marcada para 15 de outubro.

4 comentários

  1. Rafael Cejulio disse:

    Acho estranho os grandes fabricantes não se interessarem pelo WTTC, uma categoria interessante e creio, bem mais barata que a DTM ou uma classe do WEC.
    Lembro bem dela nos tempos da Alfa Romeo com os lindíssimos 155.
    Enquanto isso, no futebol chinês, torra-se milhões de dólares, vai entender…

  2. Luiz disse:

    Rodrigo, o STCC passou a seguir o regulamento TCR a partir deste ano. Você acha que o WTCC pode seguir esta regulamentação nos próximos anos? Seria vantajoso?

  3. jefferson disse:

    Enquanto isso o BTCC com sua receita clássica segue firme e forte, várias marcas e inúmeros carros, inclusive com o retorno da Vauxhall, só falta alguém criar coragem e televisionar por aqui…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>