MENU

9 de janeiro de 2017 - 22:04IMSA Weather Tech SportsCar Championship

IMSA Weather Tech SportsCar Championship – Silly Season, parte IV (atualizada)

2016 WeatherTech SportsCar Championship Atlanta Petit Le Mans

Última vez: a próxima temporada da IMSA Weather Tech SportsCar Championship será igualmente a de despedida da Prototype Challenge, que terá um grid minúsculo em 2017

RIO DE JANEIRO - Após a análise do que podemos ter pela frente nas classes Prototype, GT Le Mans e GT Daytona do IMSA Weather Tech SportsCar Championship, vamos ao panorama da divisão que terá em 2017 sua última temporada – a Prototype Challenge.

Os protótipos Oreca FLM09 herdados da extinta American Le Mans Series finalmente serão substituídos, após quase dez temporadas nas pistas, pelos protótipos LMP3 – mais modernos e que vão alinhar em provas de tiro curto, fora do calendário do IWSC. Em seu último ano, a divisão PC terá também menos corridas (oito), face o desinteresse dos times. No primeiro ano, o grid foi bastante razoável, mas nos últimos dois campeonatos, o número de participantes diminuiu. Não obstante, os custos subiram com a adoção de controle de tração para os carros e motores mais leves e ligeiramente mais potentes.

Após dominar a categoria nos últimos anos tanto na American Le Mans Series quanto no IMSA Weather Tech SportsCar Championship, exceto em 2016, a CORE Autosport será a ausência mais sentida na próxima temporada. Jonathan Bennett optou por um programa de GT Daytona. A JDC-Miller Motorsports e a PR1/Mathiasen Motorsports, que levou o troféu da Tequila Patrón North American Endurance Cup, também não regressam para 2017, optando por projetos mais ambiciosos com chassis Oreca 07 e Ligier JS P217, respectivamente, na turma de cima. Isso deixa o plantel bastante magro para a temporada que vem por aí.

Confiram:

Starworks Motorsport (1 carro – a confirmar/2 carros – 24h de Daytona)

A equipe de Peter Baron pretendia defender o título conquistado este ano por Renger Van der Zande/Alex Popow, com pelo menos um carro garantido na classe em 2017. Potencialmente, poderão ter dois, já que os planos de alinhar um segundo protótipo Riley MK30 Gibson LMP2 não se concretizaram por falta de fundos. Nos testes do Roar Before The Rolex, vários pilotos andaram com os protótipos do time e um deles – Ben Keating – tem intenção de guiar não só no Mercedes-AMG GT3 da Riley Motorsports como num dos carros da Starworks. Pilotos para uma possível temporada completa não foram confirmados.

Carro: Oreca FLM09
Motor: Chevrolet LS7 6,3 litros V8
Pilotos: a definir

Performance Tech (1 carro – confirmado)

Brent O’Neill regressa com sua escuderia para a última temporada da Prototype Challenge, com sua inscrição já tradicional de um único carro. James French foi o primeiro piloto anunciado e o mexicano Patricio “Pato” O’Ward está garantido após os testes do Roar Before The Rolex 24. A equipe dará oportunidade a outros jovens nomes nas 24h de Daytona: Clark Toppe e Kyle Masson farão suas estreias com os carros Oreca FLM09 após boas campanhas na Cooper IMSA Lites.

Carro: Oreca FLM09
Motor: Chevrolet LS7 6,3 litros V8
Pilotos: James French/Patricio O’Ward (#38)

BAR1 Motorsports (1 carro – confirmado/2 carros – NAEC)

A equipe de Brian Alder também retorna em 2017 para a última temporada da Prototype Challenge. Pelo menos um bólido está confirmado para a temporada completa e o time terá condição de alinhar dois protótipos na abertura da temporada, nas 24h de Daytona. A dupla titular do único carro confirmado, o #20, terá ninguém menos que Buddy Rice, campeão das 500 Milhas de Indianápolis em 2004 e das 24h de Daytona em 2009, quando defendeu a extinta e lendária equipe Brumos Porsche. Don Yount  foi confirmado como companheiro de equipe nas oito etapas do calendário para a PC. Para a prova de abertura, diversos pilotos serão chamados e até Johnny Mowlem, que anunciara a aposentadoria, volta para uma última despedida das pistas.

Carro: Oreca FLM09
Motor: Chevrolet LS7 6,3 litros V8
Pilotos: Buddy Rice/Don Yount (#20) e a definir

Total:

Full Season – 2-3 carros
24h de Daytona – 5 carros
North American Endurance Cup – 3-4 carros

7 comentários

  1. Arthur Luz disse:

    Rodrigo,

    Tudo bem?
    Desculpe, mas me perdi nas divisões da categoria.
    A PC seria como a LMP2, certo? Como a segunda divisão dos protótipos.
    A divisão principal, a qual corre o Christian, também está sofrendo com essa ‘debandada’?

    Desculpe a ignorância… hehehe

    abraço!

    • Rodrigo Mattar disse:

      Não, Arthur. A PC não é a LMP2. A LMP2 é a classe principal, junto aos DPi (Daytona Prototype International). E a divisão principal não sofreu debandada alguma, pelo contrário. Terá 12 carros nas 24h de Daytona e 10 durante toda a temporada.

      • Arthur Luz disse:

        Agora sim!

        Boa notícia, então!
        É DPI, LMP, PC, XT, 386, Pentium…
        É tanta sigla que me enrolei todo.

        Gosto muito dessa categoria.

        Abração!

  2. ags disse:

    Olá.. tenho uma pergunta..
    O que o Senhor pensa..pq não temos uma etapa dessa categoria no pais das corrupções..
    Pq nunca iremos ter uma etapa.. talvez já fomos parte do campeonato..mas que eu não me lembri quando..
    Obrigado,

  3. Fernando Silva disse:

    Estão demorando demais para aposentar os PC. Além do mais, um fator que torna a categoria pouco atraente é a baixa qualificação de muitos dos pilotos, ao contrário das demais classes…ano passado houve corridas que os PC só apareciam quando provocavam bandeiras amarelas.
    Creio que com a adoção dos LMP3, que já correm no ELMS há duas temporadas, muito mais times e pilotos mais qualificados se interessarão em alinhar no grid.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>