MENU

16 de abril de 2016 - 09:47Mundial de Endurance

Com pista molhada, Audi domina primeira fila para as 6h de Silverstone

2016-6-Heures-de-Silverstone-Adrenal-Media-GT7D0161_hd

Nevou hoje em Silverstone. E o Lucas Di Grassi mostrou que pra ele, não tem tempo ruim (Foto: AdrenalMedia/FIA WEC)

RIO DE JANEIRO - Sábado de chuva – e até de neve (!) em Silverstone. Teve de tudo antes e durante a definição do grid de largada para a prova de abertura do FIA World Endurance Championship. E com tamanho desafio para os pilotos, quem tivesse a manha do traçado escorregadio e molhado na hora da qualificação poderia se dar muito bem.

E quem teve essa manha foi a Audi. Com um trabalho irrepreensível de seus pilotos, a marca dos quatro anéis conquistou não só a pole position como também toda a primeira fila do grid de 33 carros que largam amanhã a partir das 8h de Brasília para o primeiro de nove desafios do ano. O novo R18, portanto, começa em grande.

2016-6-Heures-de-Silverstone-Adrenal-Media-ALP59137_hd

O novo R18 quebrou a sequência de onze poles da Porsche, que perdurava desde 2014 (Foto: AdrenalMedia/FIA WEC)

Andre Lotterer e depois Marcel Fässler foram mais constantes a bordo do carro #7 e levaram o ponto extra da pole – pondo fim, também, a uma sequência de onze (isso mesmo, onze) pole positions consecutivas da Porsche. A média dos dois pilotos foi de 1’53″204 e no carro #8, classificaram Loïc Duval e Lucas Di Grassi. O brasileiro, inclusive, foi o mais rápido do treino. A melhor volta do dia ficou em 1’52″911. Mas, na média, eles não conseguiram bater os colegas de equipe e foram superados por escassos 0″104.

Coube à Porsche a segunda fila, com os campeões Brendon Hartley e Mark Webber em 3º na qualificação, a mais de nove décimos da média do Audi pole. Romain Dumas e Neel Jani foram superados em mais de um segundo com o carro #2 da marca de Weissach. A Toyota não foi páreo para as rivais na chuva: o novo TS050 Hybrid não mostrou bom ritmo de classificação em condições adversas e os dois carros ficaram, respectivamente, a quase cinco e sete segundos dos melhores tempos.

Entre os LMP1 não-oficiais, a Rebellion teve um sábado para esquecer: o #13 não foi para a pista e o #12, com Nelsinho Piquet a bordo durante a qualificação, teve problemas e o piloto brasileiro não conseguiu efetuar as duas voltas para obter a média dos tempos com o alemão Nick Heidfeld. Com isso, o time helvético perdeu o direito ao melhor tempo na categoria, que ficou com o #4 da ByKolles Racing e seu CLM P1/01 AER.

2016-6-Heures-de-Silverstone-Adrenal-Media-ALP59142_hd

Bom trabalho: 2º lugar para Pipo Derani no treino entre os carros da classe LMP2 (Foto: AdrenalMedia/FIA WEC)

Na LMP2, René Rast e Roman Rusinov foram bastante eficientes com o Oreca 05 Nissan da G-Drive e conquistaram a primeira pole do ano (além do ponto extra, logicamente) na estreia da Jota Sport no WEC. A dupla ficou com o tempo médio de 2’08″479, superando em mais de um segundo o Ligier JS P2 da Tequila Patrón ESM, num excelente trabalho do jovem piloto brasileiro Pipo Derani.

A RGR Sport by Morand também não tem do que se queixar: Filipe Albuquerque e Ricardo Gonzalez alcançaram a terceira posição na classe, com a SMP Racing em quarto e quinto e a Manor surpreendendo com o 6º tempo – superando a Signatech-Alpine e a Strakka Racing, bem como o carro #30 da Tequila Patrón. Nada mal.

2016-6-Heures-de-Silverstone-Adrenal-Media-ALP59160_hd

A nova Ferrari 488 GTE foi a melhor na LMGTE-PRO com Davide Rigon e Sam Bird (Foto: AdrenalMedia/FIA WEC)

A Ferrari dominou na LMGTE-PRO, quando as condições da pista ainda não estavam tão boas: o carro #51 de Gianmaria Bruni/James Calado andou bem, mas teve problemas e não conseguiram efetuar o mínimo de voltas para obter um tempo médio. Assim, a pole foi para o outro carro da AF Corse – o #71 de Davide Rigon/Sam Bird, com a média de 2’12″440. Cabe lembrar que, se não fosse pela falha mecânica na outra 488 GTE, dificilmente a pole sairia das mãos de Bruni/Calado, uma vez que o britânico, profundo conhecedor da pista, marcara 2’11″589.

O Porsche #77 da Dempsey Racing-Proton, com a presença do próprio Patrick nos boxes – apenas assistindo, é claro – ficou a 1″382 da média. O único carro do construtor alemão neste ano na classe principal de Grã-Turismo é conduzido pelo atual campeão Richard Lietz e por Michael Christensen. Considerando as dificuldades, fizeram um belo trabalho. O novo Ford GT obteve o 3º tempo com Stefan Mücke e Olivier Pla, a despeito de uma excursão fora da pista feita pelo francês.

Os Aston Martin Vantage GTE não foram competitivos em momento algum durante a qualificação e os dois carros britânicos ficaram misturados entre vários LMGTE-AM. Nesta classe, a pole position ficou com o Porsche #88 de Khaled Al-Qubaisi e Klaus Bachler, no tempo combinado de 2’15″102, bem mais do que dois segundos abaixo do Porsche #78 da KCMG de Christian Ried e Wolf Henzler. O Corvette C7-R da Larbre Competition alcançou a 3ª colocação.

1 comentário

  1. Fernando Silva disse:

    Não sei se esta configuração do grid representará o que deva ser a corrida…se o tempo estiver mais estável, creio que os Porsche retomarão a ponta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>