MENU

14 de março de 2016 - 21:06Mundial de Endurance

WEC: 33 carros confirmados nas 6h de Silverstone

Silverstone2016-affiche

RIO DE JANEIRO - A organização do Campeonato Mundial de Endurance (FIA WEC) confirmou o total de inscritos que disputará daqui a um mês as 6h de Silverstone, que abrem o calendário de nove provas da temporada 2016. Além dos 32 carros full season anunciados em fevereiro, entrou na lista mais um – o Oreca 05 Nissan LMP2 da Manor, confirmado posteriormente.

Lista de inscritos para as 6h de Silverstone, AQUI

Serão vinte protótipos – nove da LMP1 e onze da LMP2 – e treze modelos Grã-Turismo, sendo sete da classe LMGTE-PRO e os restantes da divisão LMGTE-AM. Ainda há lugares em aberto e pilotos por definir, embora alguns times já tenham nomes certos, com formações absolutamente indefinidas. A certeza é que a LMP1 tem seu plantel completo, com as equipes oficiais de Porsche, Audi e Toyota, além da ByKolles e da Rebellion Racing, as equipes da categoria com protótipos sem sistemas híbridos.

A divisão principal terá pela primeira vez, em quatro anos e cinco temporadas, dois pilotos brasileiros. Além de Lucas Di Grassi na Audi, Nelsinho Piquet faz sua estreia no WEC pela Rebellion Racing. Na teoria, a formação do carro #12 é boa e experiente, com as presenças de Nicolas Prost e Nick Heidfeld. Mas o carro ainda não tem, na prática, confiabilidade suficiente para ser considerado competitivo. O típico equipamento que tem potencial e precisa de desenvolvimento para progredir. Diferentemente dos alemães para os quais Lucas dirige. A Audi é “cascuda” no assunto Endurance, venceu Le Mans múltiplas vezes, foi campeã do Mundial nas duas primeiras temporadas e quer voltar a bater novamente as rivais Toyota e Porsche.

Na LMP2, que conta com cinco marcas de chassis diferentes e um único motor (Nissan VK45DE 4,5 litros V8), Pipo Derani vai competir no carro #31 da Tequila Patrón ESM ao lado de Ryan Dalziel e do canadense Chris Cumming. E Bruno Senna vai no #43 da RGR Sport by Morand ao lado de Filipe Albuquerque e Ricardo González. Os dois brasileiros têm uma coisa em comum. O carro: Ligier JS P2 Nissan.

A divisão terá várias estreias, entre elas a de Vitaly Petrov defendendo a SMP Racing no protótipo BR01 Nissan. Quem também chegam para o WEC são o monegasco Stéphane Richelmi, oriundo da GP2 Series e o anglo-brasileiro Gustavo Menezes, que estava na F3 Europeia. Will Stevens, ex-Fórmula 1 e James Jakes, ex-Fórmula Indy, igualmente farão sua estreia no Mundial pela Manor Endurance, mas ainda sem saber, assim como Richard Bradley, em que carro vão guiar.

Fernando Rees completa – por enquanto – o time de brasileiros no WEC: o paulista, mais antigo piloto na categoria, vai para a terceira temporada consecutiva na Aston Martin Racing, agora no #97 que dividirá com Marco Sørensen e Jonathan Adam. O construtor britânico terá apenas dois carros em 2016, assim como a Ferrari (via AF Corse) e a Ford, cuja estreia é aguardada com imensa expectativa. A campeã Porsche não deixou o campeonato, embora não tenha mais um time oficial: o “oficioso”, com o nome de Dempsey-Racing Proton, inscreve apenas um 991 RSR para o campeão de pilotos Richard Lietz e seu parceiro Michael Christensen.

A marca de Weissach é maioria na LMGTE-AM, com três bólidos contra um cada de Chevrolet Corvette, Ferrari e Aston Martin. As novidades do ano são a passagem da Gulf Racing UK do ELMS para o WEC e a “queda” da KCMG, protagonista ano passado na LMP2, agora na divisão inferior de Grã-Turismo. Wolf Henzler, de invejável experiência, foi confirmado no #78 ao lado de Christian Ried. A equipe precisa de mais um piloto com graduação bronze ou prata para completar sua tripulação.

Dos 33 carros confirmados na abertura do Mundial, 29 participarão do Prólogo no fim deste mês em Paul Ricard, na França.

3 comentários

  1. Fernando Lima disse:

    Dá para ver que o WEC não só cresce em quantidade, mas também em qualidade de times e pilotos.
    Pela rivalidade mostrada na primeira temporada na FE, vai ser interessante ver o Di Grassi negociando passagem com o possível retardatário Nelsinho Piquet, porque naturalmente seu carro terminará algumas voltas atrás dos híbridos.

  2. João Ferreira disse:

    Ainda acho que foi uma sacanagem a Formula 1 marcar uma corrida no mesmo dia de Le Mans, só para impedir algum piloto de correr, uma puta falta de sacanagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>